VW cria Virtus conversível para Lula repetir foto de 1959 com JK e Fusca

Volkswagen cria Virtus conversível para Lula e Alckmin: tradição e simbolismo

A Volkswagen do Brasil presenteou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o vice-presidente Geraldo Alckmin com um Virtus conversível durante a cerimônia de anúncio de investimentos na fábrica de São Bernardo do Campo, em 2 de fevereiro de 2024.

Revivendo a história:

A criação do Virtus conversível remete a uma tradição iniciada em 1959, na inauguração da fábrica da Anchieta. Na ocasião, o então presidente Juscelino Kubitschek (JK) dirigiu um Fusca conversível especialmente modificado para a ocasião. Em 2003, durante a comemoração dos 50 anos da fábrica, Lula e Alckmin, então presidente e governador de São Paulo, respectivamente, repetiram a cena em um Polo conversível.

Juscelino Kubitschek acenando num Fusca conversível, conduzido por Henrich Nordhoff, presidente do grupo Volkswagen, no banco de passageiros, e Wilhelm Shultz-Wenk, presidente da Volkswagen no Brasil

(FOTO: Ricardo Stuckert/Presidência da República)

Simbolismo e exclusividade:

O Virtus conversível 2024 é mais do que um carro. É um símbolo da tradição da Volkswagen no Brasil, da importância da fábrica de São Bernardo do Campo e da parceria entre Lula e Alckmin.

Detalhes da customização:

O Virtus conversível foi criado a partir da versão Exclusive, a mais completa do modelo. A principal modificação foi a retirada do teto, que foi substituído por uma capota de lona preta acionada eletricamente.

Outras alterações incluem:

  • Pintura Azul Night com detalhes em preto brilhante
  • Rodas de liga leve aro 18
  • Interior em couro preto com costuras vermelhas
  • Placas personalizadas com os nomes "Lula" e "Alckmin"

Um presente único:

O Virtus conversível é um presente único e especial para Lula e Alckmin. É um símbolo da história da Volkswagen no Brasil, da importância da indústria automobilística para o país e da esperança de um futuro melhor.

Os dois se encontraram em situação semelhante em 2005, na cerimônia de comemoração de 15 milhões de veículos produzidos pela fábrica.




Lula e Alckmin na cerimônia de 50 anos da fábrica da Anchieta, em 2003 (Ricardo Stuckert/Presidência da República) 

Por: Roberto Ribeiro 

Postagens mais visitadas deste blog

GM lança carro elétrico de R$ 65 mil para competir com o BYD

Ferrari F8 Tributo de 720 cv chega no Brasil com preço de R$ 3,5 milhões

Nova Toyota Hilux 2021