Bugatti começa a entregar as primeiras unidades do supercarro Divo de R$ 30 milhões

O Bugatti Divo foi apresentado ao público em 2018, mas só agora as 40 unidades feitas artesanalmente na França começam a ser entregues.
O primeiro protótipo levou alguns meses para ficar pronto,  saiu às ruas um ano depois do início do projeto e foi prontamente aprovado. O modelo foi testado por cerca de 5 mil quilômetros e a velocidades de até 380 km/h.
O Divo é uma verdadeira obra de arte sobre rodas, ficou 35 kg mais leve que o Chiron original, graças a rodas mais leves. A cobertura do intercooler é de fibra de carbono e o sistema de som também ficou mais leve. O Divo também tem menos isolamento acústivo e menos porta-objetos na cabine.
A carroceria, com estrutura monocoque em fibra de carbono, teve o desenho refeito com novas tomadas de ar e spoiler para facilitar a passagem do ar e, de quebra, melhorar a refrigeração do motor, transmissão e freios. O ar aquecido retirado dessas áreas do supercarro é direcionado para os pneus manterem a aderência ideal contra o solo.

Como o Chiron, o Divo é movido pelo mesmo motor de 8.0 litros W16 (dezesseis), sobrealimentado com quatro turbocompressores, que entrega 1.500 cv de potência e 163,1 kgfm de torque. A transmissão automatizada de sete marchas e dupla embreagem distribui essa força às quatro rodas por meio do sistema de tração integral.


O Divo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 2,4 segundos ou somente 0,1 segundo a menos que o Chiron. No entanto, completa uma volta no traçado de pouco mais de 12 km da pista de Nardò, na Itália, 8  segundos mais rápido que o irmão devido à aerodinâmica melhorada.

A nova aerodinâmica também foi trabalhada para entregar 90 kg a mais de downforce no Divo. Isso faz o superesportivo ficar ainda mais plantado no chão em velocidades elevadas.
As 40 unidades produzidas, todas já foram vendidas desde o início do projeto.

Postagens mais visitadas deste blog

Nova Toyota Hilux 2021

Toyota Corolla Cross: novos flagras dão base para projeções do futuro SUV nacional

O mistério do Suzuki Jimny de 5 portas que ninguém viu