Pular para o conteúdo principal

Lexus LC 500H

Provando que a tecnologia híbrida e o prazer de viajar de automóvel não são totalmente incompatíveis, a Lexus tem no LC 500h o seu melhor Grand Turismo. Não confundir com desportivo. O h está mais próximo do conforto do que da dinâmica.

Dois anos depois de estrear a tecnologia de propulsão híbrida no segmento dos coupés premium, onde o RC se assumiu pela primeira vez como concorrente de modelos como BMW Série 4 ou o Mercedes Classe C Coupé, a Lexus volta a desafiar as referências. A fórmula é a mesma, duas portas, quatro lugares, motor dianteiro e tração traseira. A diferença é feita pela plataforma Global Architecture – Luxury, base para futuros modelos da Lexus com idêntica configuração de motor e tração, que acrescenta sete centímetros aos 4,70 metros de comprimento do RC. Ganho pequeno, mas suficiente para subir a parada e apontar baterias ao BMW Série 6.

Aspirar ao segmento premium é uma coisa. Ser aceite como par é outra completamente diferente. Aqui não basta parecer, é preciso ser. E o LC 500h é premium. Mais do que a subjetividade da imagem, para nós uma das mais consensuais e coerentes da Lexus, são os detalhes que garantem ao coupé japonês o acesso a um clube restrito, frequentado na sua maioria por construtores alemães. Por mais voltas que se dê à carroçaria elegantemente esculpida, onde cada curva, cada vinco, cumpre uma função dupla conjugando o efeito estético com a aerodinâmica, não se encontra uma folga maior do que o estritamente necessário para não bater.